quarta-feira, 12 de outubro de 2011

UM NOVO CICLO


“(…) Não é um panorama que os olhos contemplam:
                                                       é um excesso da natureza
                                                       (…) Um poema geológico. A beleza Absoluta”

                                                                                                      Miguel Torga, in Diário XII

Encontrei nos versos do poeta transmontano, de S. Martinho de Anta (Sabrosa), a melhor forma de apresentar as BOAS VINDAS aos Bombeiros Portugueses e dirigentes das 476 das Associações do país e das regiões autónomas da Madeira e dos Açores que, nos dias 28 a 30 de Outubro de 2011, estarão na cidade do Peso da Régua, no distrito de Vila Real, para participar no 41º CONGRESSO NACIONAL DOS BOMBEIROS PORTUGUESES.

A cidade do Peso da Régua é a Capital da Região Demarcada do Douro. Não sendo uma cidade de grandes monumentos, é um paraíso histórico de inegável fascínio paisagístico, mergulhado num dos mais belos rios: o Douro. A beleza impressionante da paisagem duriense levou a UNESCO, em 2001, a classifica-la como cultural evolutiva e viva e a reconhece-la como Património da Humanidade. Poucos sabem que a região vinhateira do Alto Douro é o esforço do árduo trabalho humano de gerações de antepassados que modelaram as agrestes encostas de xisto em socalcos de vinhas admiráveis, onde se produz o melhor vinho do Mundo -  o  Vinho do Porto.

Inaugurada em 28 de Novembro de 1880, portanto há 131 anos, a ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DE BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DO PESO DA RÉGUA, a mais antiga do distrito de Vila Real, orgulha-se da sua longa história e memória e do testemunho de altruísmo, abnegação e sacrifício de muitas gerações de bombeiros voluntários. Por isso, sinal da sua importância e afirmação, sente-se engrandecida por, uma vez mais, ter a honra de organizar a próxima assembleia magna da Confederação dos Bombeiros Portugueses.

Passaram 31 anos da realização do 24º Congresso Nacional dos Bombeiros dos Bombeiros Portugueses, realizado nos dias 10 a 14 de Setembro de 1980, na então vila do Peso da Régua, aquele que já é considerado um marco histórico no concretizar de velhas aspirações. A prova esteve na criação do SERVIÇO NACIONAL DE BOMBEIROS, que apesar de ser prematuramente extinto, merece ser repensado como um organismo público que ainda faz falta à actividade dos bombeiros. Ao mesmo tempo, ainda nessa época, os bombeiros reivindicaram e conseguiram do Estado a aprovação de um ESTATUTO SOCIAL DO BOMBEIRO VOLUNTÁRIO, como garante de um conjunto dos direitos e de deveres necessários para promover e estimular a participação dos homens e das mulheres, que contribuem para uma das mais nobres tarefas de serviço público, a protecção e o socorro de pessoas e bens.

Sem ignorar que vivemos num tempo difícil e que o nosso país atravessa seguramente uma das maiores crises económicas, de consequências sociais imprevisíveis, esperamos que os bombeiros portugueses interpretem este novo Congresso da Régua como o começo de um novo ciclo para todas as estruturas de bombeiros. Assim, os congressistas não se limitem às discussões das linhas programáticas e à eleição dos novos corpos órgãos dirigentes da LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES. Este deverá ser, se todos o quisermos, o Congresso da mudança. Não uma mudança discursiva e retórica, mas uma mudança objectiva e concreta, que conduza a uma mudança de políticas, de programas e de prioridades. Uma mudança clara, que aposte na modernidade e valorize, e preserve, a identidade dos bombeiros e a sua identidade e matriz originária. Uma mudança que conclua pelo papel do Estado neste sector e promova o reconhecimento dos bombeiros como pedra angular do sistema de protecção civil. Uma mudança que melhore a nossa auto-estima e consolide a nossa imagem. Uma mudança que nos galvanize e nos faça acreditar que temos futuro.

Se assim acontecer, sairá reforçada a posição dos bombeiros como o principal agente no sistema da protecção civil. O Estado e as Autarquias esperam que os bombeiros respondam como o garante da segurança de vidas humanas e, numa atitude mais ética, às emergências sociais e ambientais das suas comunidades cada vez mais exigentes, mas também com imensas fragilidades e vulnerabilidades.            

A todos que venham à Régua, a este “excesso da natureza” como evoca o poeta, faço um voto: UM BOM CONGRESSO! Num preito de homenagem, repito uma frase escrita em 1980 por Rodrigues Félix, meu antecessor na presidência da Federação dos Bombeiros do Distrito de Vila Real: “Parabéns, pois, e honra aos Voluntários do Peso da Régua para honra e glória dos bombeiros de Portugal”. Acrescento-lhe para o completar: A BEM DA HUMANIDADE.

JOSÉ ALFREDO ALMEIDA
Presidente da Direcção da Federação dos Bombeiros do Distrito de Vila Real

Peso da Régua, 28 a 30 de Outubro de 2011
UM NOVO CICLO
Jornal "O Arrais", quinta-Feira, 29 de Setembro de 2011
(Click com o "rato/mouse" para ampliar e ler)



Clique  na imagem acima para ampliar. Colaboração de texto e imagem do Dr. José Alfredo Almeida e edição de J. L. Gabão para o blogue "Escritos do Douro" em Outubro de 2011. 

Nenhum comentário: