terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Olho a minha cidade

Fim de uma  tarde, atravesso a ponte em direcção a outra margem, percorrendo a velha estrada nacional que me leva de viagem a Lamego pelo encantamento do Vale Abraão.

Olho a minha cidade, tão perto de mim, adormecida no entardecer escuro de uma tarde sem luz e na poesia de uma paisagem á espera de uma nova Primavera, aos dias de sol e cores nos seus vinhedos.
O rio corre serenamente entretido com os seus pensamentos, sem pressa de chegar à sua foz, ao seu último destino ao imenso  mar.

Volta-se sempre ao mesmo lugar por este rio: ao que mais se ama e nunca se esquece no coração.
- José Alfredo Almeida*, Peso da Régua, Dezembro de 2010. Clique nas imagens para ampliar.
*José Alfredo Almeida é advogado, ex-vereador (1998-2005), dirigente dos Bombeiros Voluntários de Peso da Régua entre outras atividades, escrevendo também crónicas que registram neste blogue e na imprensa regional duriense a história da atrás citada corporação humanitária, fatos do passado da bela cidade de Peso da Régua de onde é natural e de figuras marcantes do Douro.

Um comentário:

Anônimo disse...

Amei!Da mesma maneira que o rio chega ao mar tb nós chegaremos onde desejarmos...