quarta-feira, 11 de março de 2009

Um grande momento na vida do Comandante Carlos dos Santos (1959-1990).

(Clique na imagem para ampliar)

Esta imagem é um verdadeiro ícone para os bombeiros da Régua e, especialmente, para a vida do Comandante Carlos Cardoso dos Santos (1959-1990). Um grande momento na sua intensa e dedicada vida de bombeiro, inesquecível para ele o viveu intensamente como um feito que marcaria a história da Associação Humanitária, no ano em que festejava o seu primeiro centenário de vida.

Ele foi um dos protagonistas que mais desejou a realização deste grande evento nacional, que aconteceu no Peso da Régua, nos dias 10 a 14 de Setembro de 1980: o 24º Congresso Nacional dos Bombeiros Portugueses.

Aqui vê-se, na Rua dos Camilos, emoldurada de uma enorme assistência de pessoas a assistirem, o Comandante Carlos Cardoso dos Santos, dentro do magnífico jipe Willy`s - que ele fora buscar aos bombeiros de Sanfins do Douro por troca com outro carro - a abrir o desfile motorizado dos corpos de bombeiros portugueses, em representação das 436 associações do país, que constituiu um dos pontos altos deste histórico Congresso.

Para conhecermos um pouco mais da vida e da obra deste grande comandante no Corpo de Bombeiros da Régua (e na Santa Casa Misericórdia) podemos ler uma pequena biografia intitulada de homenagem, escrito pelo actual presidente da direcção da Associação, Dr. José Alfredo Almeida, – que co-apresentou a seu pedido esse seu livro - publicado na internet, no sítio http://bvpesodaregua.com.sapo.pt/), de onde destacamos este pequeno excerto:

“Não permitiu o destino que eu tivesse a honra de ser director nos anos em que Carlos Cardoso dos Santos foi o Comandante dos bombeiros da Régua. Se eu tivesse tido essa sorte, sei que aprenderia com ele mais, do pouco que sei, sobre este mundo perfeito dos bombeiros. Porém, o destino gosta de nos pregar as suas partidas.

E, no meu caso pessoal, essa partida foi ter convivido, alguns anos, com um seu grande amigo, um homem que também dedicou muito da sua vida aos bombeiros do distrito de Vila Real, o senhor Rodrigo Félix, um grande director da Federação dos Bombeiros do distrito de Vila Real e dos Bombeiros Voluntários da Cruz Verde que, certamente aonde estiver, lá no outro mundo, estará a sorrir de satisfação por ter contribuído para o reconhecimento público da vida de Carlos Cardoso dos Santos.

Foi o Sr. Rodrigo Félix que, em princípios de Janeiro de 1999, me convenceu sem muitas explicações, para que a Direcção da Associação, por mim presidida, fizesse uma proposta à Liga dos Bombeiros Portugueses, de atribuição do “Crachá de Ouro” ao Comandante Carlos Cardoso dos Santos, então já no Quadro de Honra, como reconhecimento pelos seus dedicados 31 anos de comando do Corpo Bombeiros da Régua. A proposta, que mereceu o seu indiscutível apoio como Presidente da direcção Federação, seguiu o seu caminho e, como todos sabem, foi aprovada por unanimidade.

Assim, em jeito de tributo, gostava de evocar o que esse amigo escreveu sobre o Comandante Carlos Cardoso dos Santos:

“A Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Peso da Régua enviou a esta Federação uma proposta aprovada em sua reunião de 17 de Maio do ano em curso, de condecoração, com o «Crachá de Ouro» da Liga dos Bombeiros Portugueses do Comandante no Quadro Honorário do seu Corpo de Bombeiros, Senhor Carlos Cardoso dos Santos. Pode, assim verificar-se que o Senhor Carlos Cardoso dos Santos prestou serviço activo durante cerca de 31 anos e já se encontra no Quadro Honorário há 9 – 40 anos de serviço.

Pode, ainda, verificar-se a acção desenvolvida na sua Associação e no Comando do seu Corpo de Bombeiros, de tal forma brilhante, que mereceu o reconhecimento da Câmara Municipal do Peso da Régua que lhe atribuiu a Medalha de Prata do Município.

Com efeito, de uma educação esmerada, dialogante, de excelente trato, cumprindo as missões com uma entrega total, o Senhor Comandante Carlos Cardoso dos Santos foi sempre um exemplo como homem e como Bombeiro.

Durante três décadas tudo deu de si em prol do Bem Comum com verdadeiro espírito de voluntariado, muito contribuindo com o seu exemplo, para o bom-nome e prestígio da sua Associação e Corpo de Bombeiros.

A nível do Distrito, foi sempre respeitado e tido como um dos melhores Comandantes de Bombeiros, entre os vinte e sete Corpos existentes.

Penso, sinceramente, que nestas palavras que acabei de citar o meu amigo Rodrigo, disse tudo que o autor do seu livro, o Manuel Igreja, não disse nas 31 páginas, nesta parte do Comandante.

Ainda bem, que deixou algumas coisas da sua vida por contar, pormenores que, mesmo em traços largos, encheriam muitas mais páginas. Para mim, foi uma oportunidade, de poder revelar pela, primeira vez, palavras verdadeiras e sinceras em seu reconhecimento, que serão ouvidas aqui, e neste momento da sua vida, pelo Comandante Carlos Cardoso dos Santos com muita emoção. Mas, que são-lhe devidas”.

Devemos ainda recordar que Carlos Cardoso dos Santos tomou posse como comandante do Corpo de Bombeiros da Régua, em 3 de Outubro de 1959. Era um jovem, tinha apenas 37 anos. A direcção da Associação que o escolheu para comandante era constituída por Dr. Júlio Vilela, o seu presidente, José Pinto da Silva, Noel de Magalhães, Alfredo Baptista, Augusto Mendes de Carvalho e Teófilo Clemente.

O Comandante Carlos Cardoso dos Santos ia ocupar o lugar deixado, por limite de idade, pelo um outro grande homem e comandante, Lourenço Pinto de Almeida Medeiros (1949-1959), um “senhor delicado” que tinha dedicado a sua vida ao serviço dos bombeiros da Régua.

Carlos Cardoso dos Santos permaneceu no comando do Corpo de Bombeiros da Régua até 1990, cumprindo 31 anos de serviço dedicados à causa do voluntariado nos bombeiros, prestigiando o nome da sua Associação. E, durante vários anos, exerceu cargos sociais na direcção da Federação dos Bombeiros do distrito de Vila Real e representou, como conselheiro nacional, os seus bombeiros nos órgãos da Liga dos Bombeiros Portugueses. O seu nome era conhecido, respeitado e muito admirado pelos seus pares, como um dinâmico, inteligente e experimentado comandante.

No ano de 1999, no decorrer das comemorações do 119º aniversário da Associação, o Comandante Carlos Cardoso dos Santos, integrado no Quadro de Honra, foi reconhecido e homenageado pela direcção da Associação, com a atribuição do Crachá de Ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses, entregue no Salão Nobre do Quartel Delfim Ferreira, pelo Governador Civil de Vila Real, Dr. Artur Vaz.

Esta sua fotografia…

é a de um homem bom que viveu uma vida cheia e feliz (1922-2007), apenas em serviço exclusivo do nosso Bem.

Esta fotografia…

é a de um grande comandante dos bombeiros da Régua, que fez e marcou a história do seu tempo. Deixou-nos para recordar muito momentos dias de glória e de honra ao serviço dos bombeiros, ainda presentes na memória de todos que com ele caminharam durante três décadas, como é o caso da organização exemplar do 24º Congresso – o conhecido e histórico Congresso da Régua -, para um dia se recordar aos mais novos.

Carlos Cardoso dos Santos foi um homem de enorme generosidade. É impossível esquecê-lo pelo que fez nos bombeiros da Régua. Diria melhor: pelo que fez a todos os reguenses.

O seu último adeus aconteceu em 28 de Outubro de 2007. Voltou ao seu Quartel - onde o seu corpo esteve em câmara ardente - e aos seus bombeiros, que o levaram num caixão aos seus ombros, de lágrimas nos olhos, até à sua última morada, no cemitério do Peso.

Temos a certeza que Deus o escolheu para o ter na sua infinita paz. Pelos seus valores como homem e como um valente bombeiro…da Régua! - Peso da Régua, Março de 2009, José Alfredo Almeida. (Texto revisado e ampliado em 25 de Setembro de 2009)

Nenhum comentário: