domingo, 24 de novembro de 2013

Ainda o 41.º Congresso Nacional da Liga dos Bombeiros Portugueses

O CONGRESSO ORDINÁRIO DA LBP – RÉGUA 2011

INTRÓITO
Entre os dias 28 a 30 de Outubro de 2011, decorreu na cidade do Peso da Régua o 41º Congresso Ordinário da Liga dos Bombeiros Portugueses… 

Um dos momentos maiores dos 81 anos de vida da Confederação dos Bombeiros Portugueses aconteceu junto às margens do Douro Vinhateiro, numa das paisagens mais inspiradoras para os visitantes desta generosa serpente de água que irrompe por vales e montanhas com destino ao Atlântico. 

No dia 28 de Outubro, pelas 15:00 horas, eis-me chegado à Cidade da Régua, a capital comercial do vale do Douro. 

A azáfama era muita por toda a Cidade, sobretudo para os Companheiros responsáveis pela Organização do Congresso, personalizados na figura do Presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Vila Real e Presidente da Direcção da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários do Peso da Régua – Dr. José Alfredo Almeida -, o qual não conseguia disfarçar o natural entusiasmo da vivência do momento. 

Por outro lado, os momentos que antecederam a abertura oficial do Congresso, sobretudo para os elementos que constituíam as duas Listas Concorrentes, poderiam ser caracterizados por uma única palavra – "suspense". 

Fazendo parte da Lista B, era mais um dos entusiastas de um Debate que ambicionava profundo e frutuoso, para bem do futuro dos Bombeiros Portugueses. 

Como estava enganado! E, garanto-vos, não foi só por causa do resultado final! 

OS PREPARATIVOS 
Em Dezembro de 2010, numa reunião do então Conselho Executivo da LBP realizada em Setúbal, envolta num indisfarçável entusiasmo por parte de um dado elemento desse Órgão, ressaltou desde logo a ideia da criação de uma Lista candidata ao Congresso, na base do então Presidente da Mesa dos Congressos. 

Os projectos foram-se alinhando e as estratégias foram lançadas. 

Com uma táctica arrojada e trabalhosa, assente no contacto directo porta a porta, o mesmo é dizer, Associação a Associação, a Lista B começou o périplo pelo continente, visitando todos os seus distritos. 

Foram semanas de trabalho intenso e gratificante, dado que assim foi possível analisar “in loco” uma realidade, da qual alguns têm apenas algumas percepções.

Desde logo foi constituída uma equipa de trabalho, com esferas específicas de actuação, assente na figura do líder do Projecto, Dr. Rebelo Marinho. 

O DESENVOLVIMENTO DO PROJECTO 
No dia 30 de Setembro de 2011, no Hotel Montebelo, em Viseu, foi oficialmente apresentado o Programa da Lista B, intitulado "Por um Futuro...de Mudança!" 

Numa Sala a abarrotar de Dirigentes dos Bombeiros de Portugal, com particular destaque para as Associações e Corpos de Bombeiros do Distrito de Viseu, foi dado particular destaque por parte da Comunicação Social presente à criação uma Direcção Nacional de Bombeiros, separada da ANPC, e ao Transporte de Doentes, levado a cabo por bombeiros, mas com recurso a estruturas paralelas ao socorro, assente num modelo empresarial. 

A dinâmica que envolveu a candidatura foi ganhando contornos de entusiasmo e mobilização ao longo da campanha, com evidências demonstradas em todas as acções que foram sendo promovidas. 
AS RAZÕES DO MEU APOIO
As razões do meu apoio à Lista B, liderada pelo Dr. Rebelo Marinho, foram descritas num pequeno manifesto que tive a oportunidade de escrever numa das “newsletters” produzidas pela Lista B. Dizia então: 

Caros Companheiros, 
Quanto o Dr. Rebelo Marinho me telefonou, nos últimos dias de Dezembro do ano transacto, perguntando-me se gostaria de pertencer a um Projecto de Futuro e de Mudança nos Bombeiros de Portugal, estava longe de imaginar ao que isto nos haveria de levar. 

Confesso que fiquei surpreendido, tendo-lhe perguntado as razões de tal opção. Não me foi referido qualquer assunto de ordem pessoal, tais como o credo religioso, o clube de futebol ou a orientação partidária. Referenciou-me então aquilo que todos conhecemos das suas intervenções públicas, quer como Conselheiro Nacional da LBP, quer como Presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Viseu, tendo igualmente salientado que o projecto em causa deveria crescer de acordo com o trabalho de uma equipa que pretendia coesa, determinada, criativa, com visão, diversificada, liderante e com uma causa comum: a defesa dos interesses da Instituição Bombeiros e das populações por ela servidas. 

A equipa foi constituída e foram estabelecidos factores de sucesso para a candidatura, entre eles: ter objectivos claros a serem cumpridos, estabelecer metas, possuir uma comunicação transparente, muita cooperação e elevado grau de exigência e de comprometimento. 

De todo o trabalho desenvolvido pela Lista B, neste período pré-eleitoral, ressalta a proximidade às bases que instituiu, feita dos milhares de quilómetros percorridos, das centenas de Associações/Corpos de Bombeiros visitados, num manifesto sinal de humildade e de fidelidade aos princípios e valores. 

Foi assim possível ao Dr. Marinho e à sua equipa conhecer ainda melhor a realidade das nossas estruturas, não pelo que se lê, mas por aquilo que se pode observar, e preparar, desta forma, um Programa Estratégico de Acção, capaz de responder com eficácia e eficiência às necessidades apontadas. 

A mensagem que a Lista B pretendeu transmitir e da qual fará a sua divisa após o Congresso da Régua de 2011 é a de que, com a participação de todos sem excepção, poderemos instituir um novo espírito para os Bombeiros Portugueses: sejamos pois os protagonistas dessa Mudança! 

O 41º Congresso da LBP aproxima-se, os dados estão lançados e não tenho dúvidas em afirmar que a LISTA B e o Dr. Rebelo Marinho, como seu líder, são a melhor solução para as inúmeras incertezas que assolam o sector. 

Como “Alcança quem não cansa”, quero desejar ao Amigo Joaquim Marinho boa sorte para a árdua tarefa a que se propôs, em prol de um Futuro de Mudança real e consequente para os Bombeiros de Portugal! 

OS TRABALHOS DO CONGRESSO 
Eis-nos chegados a sexta-feira, 28 de Outubro, primeiro dia dos trabalhos do 41º Congresso da Liga dos Bombeiros Portugueses. 

A Associação Local efectuou todos os preparativos e programou uma sessão de alto valor cultural, procurando elevar dessa forma o nível intelectual da Assembleia Magna. 
Após o jantar, os trabalhos do Congresso começaram, presididos pelo Vice-Presidente da Mesa dos Congressos, Dr. Agostinho Teixeira. 

Os momentos mais altos dessa noite foram protagonizados pelos dois Candidatos ao lugar de Presidente do Conselho Executivo: pela Lista A, o Cmdt. Jaime Soares e, pela Lista B, o Dr. Rebelo Marinho. 

Num discurso emotivo, mas um pouco esvaziado de conteúdo programático, o Candidato da Lista A, conseguiu arrancar algumas manifestações de satisfação por parte de uma sala razoavelmente preenchida para o dia em causa (primeiro dia, à noite e Sexta-feira). 

Quando o Dr. Rebelo Marinho subiu ao palanque para fazer a respectiva intervenção, algumas das características reconhecidas ao Candidato subiram com ele: firmeza, foco no objectivo, coerência e contextualização. 

Foram alguns minutos de lógica dedutiva argumentativa e quantitativa, em torno daquilo que a Lista B considerava serem as necessidades das entidades detentoras de Corpos de Bombeiros e daquilo que se pretendia implementar na Confederação.
Os presentes responderam com entusiasmo e o Congresso vergou-se à qualidade do discurso. 

Para o penúltimo dia do Congresso (Sábado), estava agendado o momento mais alto do Congresso, a eleição dos Órgãos Sociais da Confederação, para o mandato 2012-14. 

Após uma manhã de intervenções mais ou menos controladas emocionalmente, eis um período da tarde onde, por um lado, o fervilhar do momento eleitoral se fazia sentir pelos corredores e, por outro lado, as intervenções iam subindo de tom, utilizando-se todos os argumentos para fazer tombar os votos dos indecisos, uma vez que uma margem significativa das Associações e Corpos de Bombeiros já tinham fixado o seu posicionamento. 

No cômputo geral, direi que os trabalhos foram caracterizados por um sucessão de apoios e contra-apoios aos Candidatos, sem uma discussão profunda das temáticas recorrentes da vida das Associações e Corpos de Bombeiros em Portugal. 

Contrariando uma máxima de Santo Agostinho, foram mais combatidas as pessoas do que as ideias e, quando assim é, outros aspectos são relevados… 

Ou como refere Mário Bacelar Begonha "O verdadeiro poder é o poder das ideias, poder sem ideias é um vazio de poder, ou seja, não é poder algum porque lhe falta toda a legitimidade, e, quando muito, apenas terá a legalidade de uma eleição". 
TÁTICAS E ESTRATÉGIAS
A Liderança do Congresso foi disputada voto a voto e foi exactamente nos últimos momentos que a vitória tombou para a Lista A. 

As razões apontadas para esse resultado radicam naquilo em que a Lista B conseguiu ser mais forte no decorrer da Campanha Eleitoral, a utilização da táctica e da estratégia adequadas. 

Assim, foi no posicionamento final da Lista B que o Congresso foi perdido. 

Após uma noite de Sexta-feira que fazia pensar num domínio total da votação, eis que, no Sábado, a situação foi invertida. E o mais caricato é que essa inversão não se fez pela via da capacidade argumentativa, mas por uma mistura de ausência de apoio manifesto por parte de algumas estrelas da Lista B e pela utilização da rede de influência institucional pela Lista A. 

A Lista A descobriu mais rapidamente a sua real posição no Congresso e desenvolveu um plano táctico e estratégico baseado nessa realidade, utilizando uma panóplia de instrumentos à sua disposição, enquanto a Lista B foi incapaz de reagir àquilo que se passava mesmo à frente dos seus olhos, ficando presa à figura incontornável do seu candidato, atitude manifestamente insuficiente para fazer frente a um conjunto de desafios que se colocavam simultaneamente (respostas e contra-respostas, preparação dos momentos eleitorais, últimos contactos).

A táctica foi transformada numa estratégia e o ataque foi desferido da melhor forma possível.

A Lista A venceu o 41º Congresso da Liga dos Bombeiros Portugueses. 
Paulo Hortênsio. Actualizado em Novembro de 2013

Clique  nas imagens para ampliar. Imagens e texto enviados por Dr. José Alfredo Almeida (JASA) e editadas para este blogue. Edição de J. L. Gabão para o blogue "Escritos do Douro" em Abril de 2013. Actualizado em Novembro de 2013. Este artigo pertence ao blogue Escritos do DouroSó é permitida a reprodução e/ou distribuição dos artigos/imagens deste blogue com a citação da origem/autores/créditos.

Nenhum comentário: