segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Retalhos da net: CONTOS SOMBRIOS de Mónica Baldaque

Livro de uma escritora da RÉGUA

Transcrição de "O Fio de Ariadne" (Zilda Cardoso) - Quinta-feira, 14 de Julho de 2011

Mónica Baldaque acabou de publicar um belíssimo livro que intitulou Contos Sombrios. Contos inspirados nas memórias de alguém que sabe dizer o que a tocou fundo e a relacionou com o mundo. E isto está escrito no livro do princípio ao fim com estas palavras e com outras.

Os contos são muito bons - são histórias de despedidas, diz-se na contra-capa. Trata-se fundamentalmente de se afastar de uma casa que vai ser vendida e que se tornou um espaço de memórias e de histórias de personagens que ali viveram, que a narradora conheceu e agora evoca. Talvez tenham acontecido, talvez não. A autora conta essas histórias "cheias de lacunas e de abismos" como se as tivesse ouvido a essas personagens no lugar mítico, na casa da Quinta do Douro, onde podiam ter acontecido.

Elas marcam também para a narradora, talvez autora, a despedida de uma época da sua vida que não se vai repetir e de que possivelmente lhe ficaram saudades.

Comovem-me sempre estas histórias não apenas por serem de despedida mas por se inspirarem em memórias de infância, em episódios que a narradora viveu ou que testemunhou ou com que sonhou. O que evoca é a época, o ambiente, a casa, as pessoas e os fantasmas que ali viveram – fez de tudo personagens com os seus conflitos, as misérias, os seus desejos, as sombras, as ruínas…

O que admiro na autora é a sua extrema sensibilidade para as coisas do mundo ou de certo mundo, a riqueza da sua solidão tão produtiva, o silêncio que aprecia e a concentração que alcança na procura do caminho do sagrado em si e naquilo que a rodeia. Admiro os seus conhecimentos, a sabedoria, os seus gostos requintados, a sua arte.

Porém, não esqueço que, ao estar desperta e a prestar atenção à sua voz interior, ao questionar e ao procurar a verdade em cada coisa e em cada acontecimento, ao meditar ou ao reflectir sobre isso, ela está a aproximar-se de Deus pelo caminho da espiritualidade. E está, nos seus contos, a convidar-nos para esse caminho de encontro e de transcendência.

“Há muitas coisas de que não me lembro. Outras, lembro-me de as lembrar. Outras, essas ficam bem nítidas, umas aqui, outras além, e são todas essas que tecem as minhas memórias.

Desde muito pequena que o sei: a minha força, o meu mundo interior nunca ultrapassou os lugares do meu imaginário. Nem vai ultrapassar. Por mais viagens que eu faça, por mais encontros que eu tenha, há um tempo inalterável. E desde criança que lá está tudo, intacto, como um embrulho de raízes.

O som mais longínquo de que tenho memória é o da voz da minha mãe a chamar “mãe”!

Rolava o som pela casa como uma nuvenzinha de partículas frágeis, transparentes, prontas a desagregar-se contra os estores de pano-cru queimados do sol. O som abria-se no quarto do mirante, junto à minha cama, batia na caliça da parede e saía ligeiro pela porta…”

É assim que principia A caveira da tia Assunção. Mónica fala de outros sons – o dos passos, o do vento e o do silêncio das tardes. Este último é o mais excitante dos silêncios.

Espero que apreciem como eu os Contos Sombrios, de Mónica Baldaque.
Por Zilda Cardoso às 16:31
Mónica Baldaque - Nasceu no Douro, no lugar de Ariz, Peso da Régua. O Douro tem uma importância fundamental na sua actividade de pintora, patente em grande parte da sua obra, alguma publicada em livros e catálogos. Profissionalmente está ligada à museologia, sendo conservadora principal de museus. Tem exercido cargos de direcção, estando actualmente nos museus municipais do Porto. Pertence ao conselho directivo da Associação dos Amigos do Museu do Douro e ao conselho cultural da Fundação Eça de Queiroz. Na pintura tem uma vasta obra no retrato e na paisagem. Realizou exposições individuais e participou em exposições colectivas. Integrou o grupo dos artistas convidados pelo Museu do Douro para criarem cinco rótulos para cinco produtores de vinho do Porto. Este é o seu terceiro livro. Filha de Agustina Bessa-Luís.
Bibliografia de Mónica Baldaque no "WOOK"
Clique nas imagens para ampliar. Contos Sombrios de Mónica Baldaque - Edição/reimpressão: 2011 - Páginas: 216; Editor: Ulisseia; ISBN: 9789725686744; Coleção: Ficção; Mónica Baldaque no Google.

Nenhum comentário: