segunda-feira, 23 de julho de 2012

Recortes sobre o DOURO

PORTUGAL EM DOIS POSTS (transcrevemos só a parte 1 referente ao 'Douro')

Parte 1:

O mais bacana de rodar pelo mundo, conhecer outras pessoas e culturas é que a cada viagem vai-se ficando mais generoso. Impossível conhecer alguém que volte para casa e não divida suas dicas, restaurantes, programas, comprinhas e achados. Mais difícil ainda é encontrar alguém que não goste fazer as vezes de cicerone e apresentar o seu país a um viajante. É graças a essa generosidade que vamos conhecendo insiders pelo mundo. Um deles acaba de dividir conosco seu roteiro predileto por Portugal. Checamos tintim por tintim e é perfeito. Por isso, com a mesma vibe de dividir aquilo que recebemos tão generosamente, vai aqui um tour sem igual para fazer idealmente em dez dias pela terrinha (se tiver, mais tempo, estique a viagem o quanto puder. Portugal é o tal!).
Comece pelo Porto e lá não deixe de visitar a Casa de Serralves, que faz parte do museu de arte moderna de Portugal e tem arquitetura e jardins lindos, além de uma coleção incrível. A casa é um exemplo único do período art-déco. É de parar o coração. Ainda no Porto dois restaurantes imperdíveis: o The Yeatman, que oferece um menu harmonizado com vinhos das várias regiões do país, e o Pedro Lemos, melhor restô da cidade. Para uma experiência mais pop, aposte no Capa Negra e peça, sem medo, uma francesinha, um sanduba daqueles, recheado com muita carne e um ovo estalado por cima.
Casa de Serralves.
Ricardo Costa, o estrelado chef do The Yeatman.
Décor sobrio + iluminação acolhedora no Pedro Lemos.
Se jogue nas francesinhas.

Depois, rume para os vinhedos do Douro. Os nossos prediletos são Niepoort, Casa do Vallado (aqui, o hotel também é muito simpático) e Casa Ferreirinha. Para almoçar, fique com a Quinta da Romaneira ou com o D.O.C (o chef Rui Paula é uma celebridade local. Celebs globais, em passagem pelo Douro, vão lá provar sua comida). No jantar, a pedida é o restaurante do Aquapura Hotel. Aliás, o caminho que liga o Aquapura até o vilarejo de Pinhão, sempre margeando o rio, é de tirar o fôlego.
Apesar do vinhos Niepoort feitos no Porto serem os mais conhecidos, é dos vinhedos do Douro que sai, em anos realmente especiais, o espetacular Charme.
Barca Velha: um clássico, pioneiro entre os vinhos tintos não fortificados no Douro, é um espetáculo em forma de vinho. O Reserva Especial, o outro rótulo especial da Casa Ferreirinha, só é feito em anos ótimos: até hoje foram apenas 12 safras. Só depois de anos de garrafa dos melhores vinhos da Cassa Ferreirinha é escolhido o rótulo, se Reserva Especial ou se Barca Velha. Reza a lenda que eles reúnem a família para jantar. Se acabar o vinho, é Barca Velha. Se sobrar, é Reserva Especial.
Quinta da Romaneira.
D.O.C, um dos muitos restôs de Rui Paula.
Aquapura Hotel: são apenas 50 quartos e 21 villas de pura maravilha.

E agora, como esse roteiro só termina em Lisboa e ainda há um bocado pelo caminho, a continuação fica para o próximo post, tá? Até loguinho!

Posted by: B360 Insider


Transcrição de 'B360 Insider LifeStyle to love' - Portugal em dois posts - Parte 1 - "Nova divisão do Student Travel Bureau, a B360 nasceu da vontade de oferecer ao viajante planos customizados para momentos inesperados, temporadas únicas e experiências inéditas. Belos horizontes, sensações emocionantes. Seu embarque é imediato."

Nenhum comentário: