terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Recortes perdidos na net - RÉGUA QUE ME MEDES SAUDADES

Clique na imagem para ampliar - Imagem recolhida do blog "Retratos de Portugal"

Recebes-me no cais e aberto amplexo
Onde o meu coração ancora à justa,
E se deixar-te em breve já me custa,
Consola-me o perdão do teu reflexo

Em cores que o rio dilui em brilhos,
Apagando uma sombra de saudade
Que perpassa os meus olhos sem vaidade
De ser a mais pródiga dos teus filhos...

Mas maduro é o amor que nos reune
Para cá das agruras do Marão,
No lar onde 'inda acendo o mesmo lume...

E d'ouro é o cordão que nos enlaça -
Gavinha que me faz do coração
Cacho d'uvas que nunca chega a passa.
- In Teresa Teixeira - http://douroumpoema.blogspot.com/

Nenhum comentário: