sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Os heróis do nosso tempo

Muitos de nós vivemos preocupados com a acumulação de bens materiais, atentos ao desempenho dos vizinhos com receio de que nos superem e concentrados na busca de uma imagem de sucesso.
A insensibilidade quanto ao que se passa à nossa volta, a falta de solidariedade com quem está a sofrer e a desconsideração dos males que afligem a humanidade estão bem presentes no nosso tempo.
Felizmente há também gente que é genuinamente boa.
Estou a pensar, por exemplo, nos Bombeiros.
Os Bombeiros dedicam o seu quotidiano a ajudar os outros. Fazem-no de forma abnegada, generosa e sem contrapartidas mercantilistas. São pessoas exemplares que se norteiam por princípios e acreditam em valores.
É assim em todo o mundo, veja-se o caso do atentado terrorista de 11 de Setembro de 2001: quem não guarda na memória imagens destes valorosos e corajosos soldados da paz a darem tudo por tudo para minorarem a desgraça em causa.
A entrega dos Bombeiros implica o risco da própria vida.
Em Portugal também é assim. Podemos contar com os Bombeiros para acautelar o património ameaçado e para auxiliar as populações em dificuldades (incêndios, inundações, desabamentos, abalroamentos, catástrofes, calamidades, naufrágios, buscas, transporte de doentes, etc.).
Acresce que grande parte destas mulheres e homens exercem a missão de forma voluntária, sem compensações pecuniárias.
Quem, como eu, vive na Régua sabe que pode sempre contar com os seus Bombeiros.
É meu firme convencimento que a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Peso da Régua é a instituição mais respeitada do concelho.
Aliás, na Régua, temos Infantes e Cadetes que nos enchem de justificado orgulho e uma Fanfarra, com mais de cinquenta elementos, que também nos dá música e alegria.
       
         Peso da Régua, 6 de Setembro de 2011
Artur José Montenegro Soveral Freire de Andrade

Clique nas imagens para ampliar. Sugestão de JASA (Dr. José Alfredo Almeida) para o blogue "Escritos do Douro". Edição de J. L. Gabão - "Escritos do Douro" em  Janeiro de 2012.

Nenhum comentário: