segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O Congresso dos Bombeiros e um Livro da Associação

Clique na imagem para ampliar
Adérito Rodrigues

A cidade do Peso da Régua acolheu, em assembleia, no final do passado mês de Outubro, as Associações e respetivas Federações de Bombeiros, no 41º Congresso Nacional da Liga dos Bombeiros Portugueses - L.B.P., transformando-se na capital e fulcro de toda a dinâmica dos Bombeiros, sendo uma repetição do feito, já que foi a 2ª vez que tal reunião se realizou na Capital da Vinha e do Vinho – no então 24º Congresso, dos dias 10 a 14 de Setembro de 1980. 

Ficou demonstrado que a Associação Humanitária dos Bombeiros da Régua, com todo o seu historial, tem uma capacidade organizativa para receber, promover e realizar eventos, bem como tem uma extraordinária habilitação para receber os Bombeiros, sendo que, para este efeito, há que agregar a Autarquia local, já que a Câmara Municipal do Peso da Régua foi o contributo valioso e imperativo para que toda esta ação se concretizasse.

Um Congresso é sempre um momento histórico e nevrálgico para a vida dos Bombeiros Portugueses, pelo debate intenso que vai sendo feito antes e durante o Congresso. Este foi memorável, dito pelo Presidente do Conselho Executivo da L.B.P. – Duarte Caldeira. Estiveram no Congresso mais de 800 participantes - a nível de Congressos da L.B.P. a maior participação de sempre.

O desfile que os Bombeiros nos patentearam na Avª do Douro, para além da grande postura e do profissionalismo que demonstraram os seus intervenientes, foi do melhor que se viu em todo o país, exteriorizou a missão e o altruísmo que aqueles homens, numa condição de Voluntariado, executam e assumem - quer homens, quer mulheres, todos bombeiros - envolvendo-se no desfile com dignidade, organização, empenho, competência e profunda dedicação. Souberam dar uma expressão arrojada, deslumbrante, colorida, gratificante e exaltadora da força e valor das Associações que representavam, somente Bombeiros do distrito de Vila Real.

O desfile, que teve a ajuda do S. Pedro, com um Verão de S. Martinho antecipado, mobilizou diversos veículos para combate aos fogos, para socorro no rio ou nas estradas, várias ambulâncias,...e cerca de trezentos elementos, todos eles com um comportamento elegante e soberbo, demonstrando as imensas capacidades com que os bombeiros estão apetrechados para socorro das suas gentes. Houve também uma demonstração no Rio Douro, com embarcações diversas de socorro, que subiram as águas do nosso Douro, numa demonstração da capacidade para socorro e auxílio em situações ribeirinhas.

As Associações Humanitárias dos Bombeiros, como elementos e forças de Voluntariado, são um património sócio-cultural, que luta pelo seu próximo. Os Bombeiros são os principais defensores, os da primeira linha, no auxílio ou socorro das comunidades locais onde estão inseridos. São eles que lutam de forma denodada, eficaz e comprometida, para que as pessoas possam ter uma eficaz assistência na saúde - a mais rápida possível, a fim de garantir, assegurar e defender a saúde desses seus utentes, bem como na defesa dos bens dos seus semelhantes.

Manifestadas as atividades desenvolvidas no Congresso da L.B.P., quero destacar um aspeto que conceituo de excelente e que se refere ao livro “Memórias dos Bombeiros Voluntários do Peso da Régua”, cuja autoria se deve ao Dr. José Alfredo Almeida, Presidente da Direção da Associação dos Bombeiros do Peso da Régua e também com funções diretivas no distrito de Vila Real - Presidente da Federação das Associações dos Bombeiros, assim como é elemento diretivo a nível nacional.          

A apresentação do livro deu-se no 1º dia das atividades congressistas, pelas 19 horas, e o palco da Sessão Solene foi o Salão Nobre da Casa do Douro, estando completamente cheio , o que vem evidenciar a mais valia que a obra apresentada tem para o futuro.

Quero realçar este episódio, porquanto a obra apresentada e trazida ao mundo, retrata muito do historial da Associação Humanitária reguense. O trabalho do Dr. Alfredo é de elogiar, pela qualidade da obra, já que enaltece o coletivo dos Bombeiros, e pela exposição de acontecimentos ímpares da vida da “sua” Associação, que já leva 131 anos, cumpridos no dia 28 de Novembro, do corrente ano.

O Dr. Alfredo evoca e reacende aspetos históricos da Corporação dos nossos Bombeiros, assinale-se que é a mais antiga do distrito, e aqui é que está o valor sério desta obra, por conseguir compilar escritos que ele próprio foi fazendo, através das muitas investigações que fez pelos tempos, quer nos documentos no próprio Edifício/Sede da Associação, quer investigando por terras distantes, em diversos locais onde podia encontrar material que lhe servisse de apoio.

Como Presidente da Direção da Associação dos Bombeiros Voluntários do Peso da Régua fez história, com a história da Associação. Só uma alma generosa, simples e impoluta poderia dedicar tanto tempo, e sabiamente, em prol dum projeto, que terá uma representação social excessiva para as gerações vindouras.

Homem simples, duma humildade extrema, mas dum valor humano inalcançável e inexcedível, pois só homens duma elite, duma dignidade extrema, conseguem feitos gloriosos. O livro”Memórias dos Bombeiros Voluntários do Peso da Régua” é, sem dúvida, um ato heróico, glorioso e de um valor descomunal e imensurável.

Na nota de autor refere-nos que apenas ambicionou “reunir numa despretensiosa publicação os meus textos, que escrevi sobre os Bombeiros da Régua, no jornal ‘O Arrais’, do Peso da Régua”. De forma simples e modesta, exaltou o altruísmo, a generosidade e a coragem dos homens que durante 131 anos lutaram em prol da sua comunidade. As páginas do livro, evocam os inúmeros Bombeiros, diretores, benfeitores, . . . o cidadão comum.

Várias vezes dialoguei com o meu estimado amigo Alfredo sobre os artigos que ia publicando e sempre lhe afirmei que os achava de um valor incalculável, verdadeiros marcos históricos. Aquela publicação semanal, se não era a 1ª que procurava ler no Jornal, pelo menos era das primeiras, assim lhe afiancei. Demonstrei-lhe o apreço que tinha pelo trabalho que estava a desenvolver e encorajei-o a que prosseguisse e nunca vacilasse nesse labutar insano que os vindouros louvarão.

O Dr. Alfredo, neste seu trabalho, ainda teve oportunidade de contactar com alguns elementos que pertenceram à Associação e que hoje já não estão entre nós; conseguiu que alguns familiares de antigos elementos da Associação transmitissem, para a posteridade, aspetos relevantes, relacionados com os então elementos da mesma; obteve alguns registos históricos, fotográficos, que, caso ele não tivesse enveredado por este caminho, ficariam perdidos para a história dos nossos Bombeiros.

Os textos produzidos resultam de muita investigação pessoal nos arquivos ou no baú do tempo, implica congregar memórias já antigas, às vezes reportagens ou testemunhos de recordações pessoais, relatos de algumas testemunhas e do conhecimento pleno e pessoal do autor de alguns dos seus protagonistas. Contextualizando-as na sequência temporal fez Crónicas espontâneas que com a reprodução de manuscritos resultaram num livro genuíno.

Tal qual Fernão Lopes, o Dr. Alfredo Almeida acaba por ser o cronista que compila, redige as crónicas gerais, não do Reino de Portugal, mas dos Bombeiros da Régua, o que permite que factos que o tempo iria destruir ou apagar cheguem aos vindouros, esquecidos nas brumas do tempo. São documentos históricos, autênticos, documentados com fotos do tempo, reproduz capítulos históricos pela voz ou pelo punho de alguns então vivos, hoje, talvez, já tenham partido neste momento de publicação da obra.

Se nos dias de hoje já há muito material que se perdeu de vista - não se sabe ao certo o seu paradeiro, nem como desapareceu - sem este registo escrito, constatamos que, jamais, para os anos subsequentes, ficaria algo, que permitisse uma continuidade para memória futura.

Não vou debruçar-me sobre o conteúdo do livro, pois que espero que a curiosidade dos leitores possa levar a que, por si só, consigam perceber a grandeza deste livro e, lendo-o, descubram a memória, a missão e a dignidade de todos os que pugnaram pelo crescimento e plenitude da Associação Humanitária.

Só grandes Homens poderão figurar em páginas valiosas da História! É o que acontece aqui, os Bombeiros, Homens de coragem e valentia; Homens que o cansaço não derruba; Homens que deram a vida pela vida; Homens que se dedicaram de alma e coração ao próximo,  pondo a própria vida em risco, como é o caso de uma das crónicas, em que João Figueiredo, mais conhecido por “João dos óculos”, acabou por falecer num incêndio em 1953, ocorrido na então Casa Viúva Lopes.

Ficamos com um Livro carregado de altruísmo, de abnegação, quer pelos que lutaram no terreno como bombeiros, quer pelos que tudo fizeram por manter e levar a Associação Humanitário dos Bombeiros do Peso da Régua à profícua idade de 131 anos.

O Dr. Alfredo foi, é e continuará a ser, também, um altruísta, um generoso, um homem de coragem, um homem de bem, que servirá de exemplo para as gerações futuras do Voluntariado, dar-se à sua Associação, cuja lema é “VIDA POR VIDA”.
O Congresso dos Bombeiros e um Livro da Associação
Jornal "O Arrais", quinta-feira, 05 de Janeiro de 2012
(Click com o "rato/mouse" para ampliar e ler)
Colaboração do Dr. José Alfredo Almeida. Edição de J. L. Gabão para o blogue "Escritos do Douro" em Janeiro de 2012.  

Nenhum comentário: