terça-feira, 21 de dezembro de 2010

“José Saramago – Da Cegueira à Lucidez!” de António José Borges

Da Cegueira à Lucidez, é um livro de António José Borges, natural do Peso da Régua, a viver em Lisboa, que pretende dar uma nova visão da obra de Saramago, nomeadamente através do seu percurso ideológico e literário.

O lançamento de "José Saramago – Da Cegueira à Lucidez" teve lugar em Novembro, na Livraria Leya CE Bucholz, na R. Duque de Palmela, nº 4, em Lisboa. Além do autor, António José Borges, estiveram  presentes Renato Epifânio, director da colecção Nova Águia (na qual a obra é editada), e Miguel Real, a quem coube a apresentação da obra. Dele é o prefácio, onde sobre o autor e a obra refere o seguinte: «(…) António José Borges aduz um conjunto de argumentos (…), acrescentando, assim, uma nova luz ao esclarecimento das múltiplas perspectivas estéticas por que se tem enquadrado a obra de José Saramago.(…) O romance ganha em José Saramago um estatuto ensaístico de permanente inquirição e abertura de horizontes culturais, segundo interrogações radicais de carácter filosófico (a questão de Deus, a questão civilizacional do capitalismo, a questão da identidade do eu…), que desafiam, senão subvertem, o paradigma conceptual por que habitualmente interpretamos o mundo, forçando o romance a tornar-se, mais do que a narrativa de uma história, um inquiridor das regras e dos modelos do acto instaurador da palavra.»

No posfácio deste livro,  Elsa Rodrigues dos Santos ainda salientou: «Além de aprofundar as motivações do texto, numa análise muito rica, levando o leitor a novos caminhos de interpretação, [o autor] desvenda a essência humanista de Saramago coadjuvado por textos seus paralelos (diários, entrevistas e artigos), como dos seus dados biográficos, em que Lanzarote foi pedra basilar. Na defesa da tese da existência de um percurso ideológico e literário dentro dos parâmetros já referidos, António José Borges selecciona três aspectos como os mais relevantes: O tratamento da religião e mais concretamente o papel de Deus, o discurso aforístico (nomeadamente os ditados populares), o papel do cão nos seus romances deste período.»

Sobre António José Borges: Nasceu no Peso da Régua. Vive em Lisboa. É licenciado em Ensino de Português e Alemão, estudou por um breve período na Ruhr Universität Bochum, na Alemanha, e é mestre em Ensino da Língua e Literatura Portuguesas. Foi Professor na Universidade Nacional Timor Lorosa’e e na Escola Alemã de Lisboa. Fez traduções de Inglês e Alemão para várias editoras e organizações e é ocasionalmente revisor e consultor editorial da Porto Editora. É associado da Associação Portuguesa de Escritores e da Sociedade da Língua Portuguesa, membro da direcção do Movimento Internacional Lusófono, presidente da Assembleia-Geral da Associação de Apoio à Diocese de Baucau (Timor-Leste) e faz parte da Tertúlia de João de Araújo Correia. Integra o Conselho de Direcção da revista Nova Águia, onde colabora com publicações, e é cronista permanente nas revistas "Tribuna Douro" e "Contrabando" (edição multilingue). Participou nas revistas "Navegações"; "Espacio / Espaço Escrito" – Revista de literatura en dos lenguas"; "O Escritor"; "Mealibra"; "Humanitas"; "Revista de Letras"; "Douro – Estudos e Documentos"; "Geia" (Tertúlia de João de Araújo Correia); "Terra Feita Voz" (Círculo Cultural Miguel Torga) e "DiVersos". Como contista, publicou no jornal timorense "Semanário" e na antologia "Olhares Convergentes". Colaborou na antologia de textos durienses "Palavras que o Douro tece" e no "In Memoriam de João de Araújo Correia" (Grémio Literário Vila-Realense). É autor dos livros "Timor – As Rugas da Beleza" (crónicas, 2006) e "de olhos lavados / ho matan moos" (poesia – edição bilingue e ilustrada, 2009). Para mais informações: Zéfiro.
- Matéria enviada por J A Almeida - Régua, em Dezembro de 2010.

Nenhum comentário: