sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

BOMBEIROS DA RÉGUA - Uma “força invencível” com 130 anos de vida ao serviço do povo reguense

Simulacro na zona habitacional do Peso

O programa festivo deste 130 aniversário da AHBV do Peso da Régua começou no inicio da tarde de sábado, dia 27 de Novembro, com a realização de um simulacro de combate a uma habitação situada na zona histórica do Peso, na Rua de S. João, para a qual foram bombeiros chamados a intervir nesse “teatro de operações” para demonstrarem as suas capacidades, eficácia e prontidão no combate ao fogo numa velha e degrada habitação, seguindo-se o salvamento de bens e a vida de uma pessoa ferida. Assim, os bombeiros puderam testar a operacionalidade de vários equipamentos e das suas viaturas num lugar em que as condições de segurança são precárias face às ruas estreitas, com estacionamentos indevidos e ao estado de ruína da maior parte em que se encontram muitas casas.

Romagem aos Cemitérios

No dia 28 de Novembro, as cerimónias comemorativas centraram-se numa romagem do corpo activo, fanfarra e directores aos dois cemitérios da cidade (Godim e Peso), onde foi colocada em cada jazigo de bombeiros e directores ali sepultados uma flor em cada jazigo e fez-se uma guarda de honra junto dos jazigos dos Comandantes Manuel Maria de Magalhães e de Carlos Cardoso, do antigo presidente de direcção, Dr. Júlio Vilela e dos bombeiros falecidos em combates aos fogos, João Figueiredo e Afonso Monteiro.

Sessão Solene com discursos e Crachás de Ouro para bombeiros

A sessão solene que teve lugar no Salão Nobre “António José Rodrigues” foi dirigida pelo presidente da Assembleia-geral da Associação, dr. José Alberto Marques que proferiu um discurso cheio de mensagens. Começou por salientar que 130 anos, não são 130 dias, para reforçar a ideia de uma instituição que perdura no tempo apesar dos muitos momentos de dificuldade. Sorte, disse, tiveram os bombeiros reguenses por ter existido ao longo dos anos, gente com inteligência e com vontade, para fazer desta instituição aquilo que é e que vem sendo ao longo de 130 anos, assinalando numa metáfora que ela está construída na rocha. Neste contexto, referiu a presença na sala de cinco antigos presidentes da Direcção – Dr. Aires Querubim de Menezes, Dr. José Luís Soveral Montenegro, Prof. Fernando de Almeida, José Manuel Moura e Eduardo Sebastião - a quem dirigiu os seus agradecimentos, estendidos a todos aqueles que fizeram da Associação aniversariante aquela a quem os reguenses mais amam. Não deixou depois de referir alguns presentes e alguns ausentes, em especial o dr. Jorge Almeida, por costume sempre presente neste acto, mas desta vez ausente por motivos de saúde. Reforçando a sua mensagem para a Associação, parafraseou Aquilo Ribeiro, quando este escreveu “Alcança quem não cansa”, para desejar que por parte dos Bombeiros da Régua, se “não canse, para se alcançar”.

De seguida o presidente da Direcção da Associação, dr. José Alfredo Almeida, que antes de mais relembrou os 27 homens que liderados pelo Comandante Manuel Maria de Magalhães, no dia 28 de Novembro de 1880, se uniram para dar identidade e ser à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Peso da Régua, salientando que eles merecem o nosso respeito e admiração pelo que hoje são e valem os Bombeiros da Régua, depois de lembrar os antigos presidentes de Câmara da Régua que mais ajudaram a missão dos bombeiros - Dr. Mário Bernardes Pereira (1930), Dr. Fernando Bandeira (1955) e o Prof. Renato Aguiar (1980) e agradeceu e reconheceu também o apoio prestado pelo actual executivo, que foi essencial a candidatura para o financiamento das obras de requalificação da sede da associação e vai significativo para a próxima organização do 41º Congresso Nacional dos Bombeiros Portugueses, cuja responsabilidade cabe aos bombeiros da Régua. Agradeceu e destacou ainda, os beneméritos Eurico Cardoso, Eurico Patrício e empresário Manuel Rocha Macedo, recentemente falecido no Brasil, que durante o ano em curso muito ajudaram a Associação que dirige. E, acabou o seu discurso com uma citação do escritor João de Araújo Correia que era um grande admirador dos bombeiros da sua terra, em que num dos aniversários da associação lhe escreveu este enorme elogio: “Felicito a nobilíssima corporação por mais um ano de vida. Cumpro este dever como se cumprisse um voto religioso. Quando tudo falece, pela palavra tudo, a longa vida dos nossos bombeiros é um sinal de força invencível. Comparo-a à vida de uma árvore, que tenha escapado à fúria dos temporais para se prolongar como símbolo de eternidade.
O Dr. Duarte Caldeira, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, que agraciou os Chefes António Silva e António Dias, com o Crachá de Ouro daquela Liga, falou para defender que o contexto de desenvolvimento dos bombeiros e da protecção por eles prestada, deve basear-se num triângulo em que se unem os Bombeiros com as suas Associações, o Poder Central e o Poder Autárquico, na manutenção do que chamou de um património público incomensurável, uma escola cívica, numa lógica de parceria em que cada qual afirma os seus valores.

O presidente da Câmara Municipal do Peso da Régua, engº. Nuno Gonçalves, usou da palavra dizendo que a presença do presidente da Liga era em si mesma uma prova do relevo que os Bombeiros reguenses merecem a nível nacional, um estatuto conquistado segundo ele, ao longo dos anos pelo trabalho que em redor dela se soube desenvolver. Devemos pois segundo o edil, reconhecer mais do que agradecer, todo o trabalho que dirigentes e corpo activo levam ali a efeito para usufruto de toda a comunidade. Fez depois notar Nuno Gonçalves, que se em anos anteriores ali apelou à formação enquanto algo fundamental, agora podia dizer ter sido essa um aposta ganha. Aludindo a mais que centenária Associação Humanitária aniversariante, disse ser ela a mais importante de um concelho que tem muitas outras importantes e boas. Acerca do ano que se abre, garantiu ser um ano importante dadas as obras que se iniciarão e o 41.º Congresso Nacional dos Bombeiros Portugueses que se realizará na cidade. Não deixou contudo de fazer notar os tempos orçamentalmente difíceis que se vivem a nível geral, garantindo no entanto a continuidade do apoio da sua autarquia aos bombeiros.

Esta sessão solene foi encerrada pelo Governador Civil do Distrito de Vila Real, dr. Alexandre Chaves, que mais uma vez manifestou o seu apreço pelos bombeiros em geral, e pelos da Régua em particular, merecedores de respeito e admiração, conforme atesta o facto de terem 130 anos de vida.

Durante a cerimónia foram agraciados com o crachá de Ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses, os Chefes António Silva (com 41 anos de serviço) e António Manuel Dias (37 anos de serviço) e ainda medalha de mérito para o bombeiro motorista Manuel Silva Dias (20 anos) e para o dr. José Alberto Marques (10 anos) e José Vasques de Sousa (10 anos).
Num gesto simbólico, mas de grande significado para a história dos bombeiros da Régua, a cerimónia terminou com a assinatura do Contrato de Empreitada para as obras de beneficiação do Quartel Delfim Ferreira, no valor de 300 mil euros, pelo presidente da Direcção e pelo representante da empresa construtora vencedora "Teixeira, Pinto & Soares", de Amarante, as quais devem iniciar-se até ao fim deste ano.
- Peso da Régua, Dezembro de 2010. Texto e imagens  de J A Almeida* para Escritos do Douro 2010. Clique nas imagens acima para ampliar.
  • *José Alfredo Almeida é advogado, ex-vereador (1998-2005), dirigente dos Bombeiros Voluntários de Peso da Régua entre outras atividades, escrevendo também crónicas que registram neste blogue e na imprensa regional duriense a história da atrás citada corporação humanitária, fatos do passado da bela cidade de Peso da Régua de onde é natural e de figuras marcantes do Douro.

Nenhum comentário: